A Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) finalizou nesta terça-feira, dia 4, o levantamento dos dados das famílias desabrigadas em decorrência da maior enchente que atingiu cerca de 40% do município de Itabuna. Nos dados coletados pelas equipes técnicas da secretaria, foram cadastradas 1.141 famílias que inicialmente se encontravam nos 16 pontos de abrigamento.

Atualmente, a Semps mantém 11 pontos de abrigamento com 631 pessoas desabrigadas e um total de 280 famílias. A queda no número de desabrigados deu-se porque muitas famílias não tiveram suas casas destruídas e já receberam autorização da Defesa Civil para retornar aos seus lares. “Estão nos abrigos aquelas pessoas que perderam tudo. Nós estamos aguardando o laudo da Defesa Civil para o pagamento do ‘Auxílio Recomeço’ e ‘Aluguel Social”, informou a titular da Semps, Andrea Castro.

Ela explicou que eventuais famílias ou pessoas que não tenham sido cadastradas devem procurar a unidade de saúde de seu bairro para que os dados sejam coletados pelos Agentes Comunitários de Saúde. (Ascom/PMI)

A Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) aprovou, na tarde desta quarta-feira (22), na última sessão de 2021, o reajuste salarial de 4% para o funcionalismo público estadual. Também foi aprovado o aumento dos salários do governador Rui Costa (PT), do vice-governador João Leão (PP) e dos secretários de governo. Apesar de protestos contra o tamanho do reajuste para os servidores, considerado pequeno pelos parlamentares oposicionistas, o projeto de lei encaminhado pelo governo do estado foi aprovado por unanimidade na AL-BA. "O reajuste é pífio, pequenininho, tacanho, desnutrido, opaco e quase sem vida. Mas é antes isso do que nada", criticou o oposicionista Carlos Geílson (PSDB).

Além do reajuste linear de 4% destinado a todo o funcionalismo, a lei concederá um incremento de R$ 300 ao vencimento básico de servidores da Educação, Saúde e Segurança Pública a partir de março de 2022. E de R$ 200 para aqueles que estão com vencimento básico abaixo do mínimo. Com isso, alguns trabalhadores terão aumento de até 22%. Durante a semana, o tamanho do reajuste foi alvo de críticas também de representantes sindicais dos servidores estaduais.

Já a aprovação do aumento salarial de Rui, Leão e secretários estaduais obteve mais resistência na AL-BA, contando com os votos contrários dos deputados estaduais Soldado Prisco (PSC) e Capitão Alden (PSL). Com a alteração, as remunerações de Rui Costa (PT) vai de R$ 22,4 mil para R$ 23,5 mil. Já os salários de João Leão (PP) e secretários sobem de R$ 19,3 mil para R$ 20,3 mil. Caso aprovado, o aumento entra em vigor no dia 1° de abril de 2022. (BN)

O vereador Cosme Oliveira Rosa (PMN), conhecido como Cosme Resolve, bateu o carro que ele dirigia em outros três veículos, na cidade de Itabuna, no sul da Bahia. Segundo a Polícia Civil, o teste do bafômetro feito pelo político, que não tem Carteira Nacional de Habilitação (CNH), apontou embriaguez. Ninguém ficou ferido.

O caso aconteceu no bairro de Fátima, na tarde de segunda-feira (6). Após os acidentes, Cosme Resolve deixou o veículo que estava e discutiu com moradores. A situação foi filmada por testemunhas.

De acordo com os moradores, o vereador perdeu o controle da direção do veículo, que subiu na calçada e bateu em um motocicleta, que estava estacionada. Em seguida, invadiu uma rua, onde bateu em outros dois carros. De acordo com a Polícia Civil, o teste no etilômetro apontou concentração de 1,49 Mg/L, muita acima do permitido, que é de 0.5 Mg/L.

Cosme Resolve foi levado para a delegacia e liberado ainda na noite de segunda-feira (6), após pagamento de fiança. O valor não foi divulgado. A assessoria do vereador informou que o político ainda vai se posicionar sobre o caso. (Informação do site G1BA)

 
 

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (7), a Operação Bancarrota, que visa apurar irregularidades envolvendo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), empresa responsável pela realização do Enem.

Estão sendo cumpridos 41 mandados de busca e apreensão, no Distrito Federal, São Paulo e Rio de Janeiro, além de ter sido determinado pela Justiça Federal o sequestro de R$ 130 milhões das empresas e pessoas físicas envolvidas. Foram destacados 127 policiais federais e 13 auditores da Controladoria Geral da União (CGU) para o cumprimento das diligências. Entre os anos de 2010 e 2018, o Inep contratou para realização do Enem, sem observar as normas de inexigência de licitação, empresa que recebeu um total de R$728,6 milhões dos cofres públicos neste período. Além disso, apurou-se o envolvimento de servidores do INEP com diretores da referida empresa, bem como com empresas de consultoria subcontratadas pela multinacional.

Os contratos sob investigação totalizaram um pagamento às empresas de R$ 880 milhões, desde 2010. Deste montante, estima-se que cerca de R$ 130 milhões foram superfaturados para fins de comissionamento da organização criminosa, que é composta por empresários, funcionários das empresas envolvidas e servidores públicos. As investigações apontam para um enriquecimento ilícito de R$ 5 milhões dos servidores do INEP suspeitos de participação no esquema criminoso.

Os envolvidos são suspeitos do cometimento dos crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, crimes da lei de licitações e lavagem de dinheiro, com penas que ultrapassam 20 anos de reclusão. (Bahia Noticias)

O cenário de intenções de voto para o governo na Bahia muda quando os candidatos aparecem colados em presidenciáveis. É o caso do senador Jaques Wagner (PT), que quando associado a figura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assume a liderança, de forma tímida, empatando tecnicamente com o segundo colocado. Já sozinho, o petista soma 23,1% e fica em segundo lugar (lembre aqui). Os dados são de levantamento do Instituto Paraná Pesquisas em parceria com o Bahia Notícias.

Com o apoio de Lula, Wagner soma 36,8% das intenções de voto para o governo da Bahia. Neste cenário, o nome de ACM Neto (DEM) aparece com o apoio do ex-juiz Sergio Moro (Podemos) e o democrata soma 36,6% da preferência dos eleitores. Sozinho o ex-prefeito de Salvador lidera com folga com seus 54,8% (lembre aqui). Com os apoios, é um cenário de empate técnico, dentro da margem de erro da pesquisa.

O ministro da Cidadania João Roma (Republicanos) é beneficiado e cresce na preferência do eleitorado quando associado ao presidente Jair Bolsonaro (PL). Se sozinho Roma tem 3,9%, com o apoio de Bolsonaro ele vai a 13,6%.

Este cenário só considerou esses três nomes para o governo da Bahia. Os eleitores que não responderam são 4,4% e votariam branco ou nulo 8,6%. (Bahia Noticias)

O deputado estadual João Isidório (Avante) morreu, na tarde desta quinta-feira (11), após se afogar em uma praia nas proximidades de Madre de Deus, município da Região Metropolitana de Salvador (RMS).

O parlamentar foi resgatado sem vida das águas da Baía de Todos-os-Santos por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que tentou a reanimação, sem sucesso. João Isidório foi o candidato mais votado em 2018 para a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), sendo eleito com 110.540 votos. Ele tinha 29 anos de idade e era filho do deputado federal Pastor Sargento Isidório (PSD), que foi candidato à prefeitura de Salvador em 2020. (BN)

Daniel Campos Carneiro Mehlem, Fábio Almeida, Heliana Souza Gonçalves, João Carlos Santos Novaes e Lúcio Flávio Duarte de Souza foram denunciados por fraude de documentos, falsidade ideológica, fraude processual, tentativa de estelionato e corrupção passiva, este último praticado pelos servidores públicos denunciados.

A denúncia, apresentada nesta sexta-feira, dia 15, pelo Ministério Público estadual, por meio do Grupo de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco), é um desdobramento da “Operação Inventário”, que investiga fraudes em processos judiciais em trâmite no Poder Judiciário baiano, supostamente praticadas por organização criminosa formada por advogados, serventuários e particulares responsáveis por falsificação de documentos.

O MP pediu a condenação dos réus pelos crimes, com base no que foi apurado nas investigações após apreensão de documentos em cumprimento de medidas de busca e apreensão, acordos de colaboração premiada, interceptação telefônica e outros pedidos deferidos pela Justiça após denúncias anteriores. 

Esta é a quarta denúncia da operação. Na peça, o MP explica que os denunciados conseguiam os dados das contas bancárias “inativas” nas instituições financeiras, fabricavam a documentação falsa dos herdeiros, elaboravam petições e cuidavam da parte técnica, garantindo a tramitação do feito em Vara de Família onde tinham influência.

Em suas duas fases, a primeira em setembro de 2020 e a segunda em setembro de 2021, a “Operação Inventário” investigou fraudes em processos judiciais em trâmite no Poder Judiciário baiano, supostamente praticadas por organização criminosa formada por advogados, serventuários e particulares responsáveis por falsificação de documentos.

Bolsonaro está cada vez mais próximo de fechar sua filiação ao PP. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, cerca de 90% do partido quer a presença do presidente da República nos quadros da sigla. Apenas os diretórios da Bahia, da Paraíba e de Pernambuco estão resistindo ao bolsonarismo.

A principal razão para a resistência nesses três estados é o desempenho ruim de Bolsonaro nas pesquisas de opinião. No caso, as lideranças baianas, paraibanas e pernambucanas no PP preferem se aliar ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Especificamente na Bahia, o PP, do vice-governador João Leão, possui uma forte aliança com o PT, do governador Rui Costa. Pelas declarações de líderes de ambas as siglas, eles devem continuar no mesmo palanque em 2022. 

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), também não é um entusiasta da filiação de Bolsonaro, mas já deixou claro que não oferecerá resistência à chegada de Bolsonaro.

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, é o principal articulador da ida de Bolsonaro ao partido. Ele se comprometeu a dar poder de escolha ao presidente da República a quem se candidatará a senador em estados considerados chaves por ele, como o Rio de Janeiro e o Distrito Federal. (BN)

COMENTE, FALE, ASSISTA, ACOMPANHE...

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco