O secretário da saúde do estado, Fábio Vilas-Boas, afirmou que apesar de o Governo da Bahia oferecer testes para a covid-19, inclusive do tipo RT-PCR (considerado o mais confiável), vários municípios estão se recusando a testar a população com medo de que isso possa ter impacto nas eleições municipais deste ano.

Vilas-Boas ressalta que isso é extremamente grave e diz que a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) está "ficando no pé" de vários municípios para que a população seja testada. Ele lembra que pode existir um risco de pessoas que já tiveram a doença contraírem de novo e afirma que a retomada das atividades deve ser feita de forma cautelosa, seguindo protocolos.

Um alerta de "grande perigo" foi emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) devido a uma onda de calor que deve atingir parte do país até a próxima sexta-feira (9). De acordo com o Instituto, há risco de morte por hipertermia em grande parte da região Centro-Oeste e no estado do Tocantins, no Norte do país.

De acordo com o Inmet, as temperaturas vão subir até 5ºC acima da média nas regiões do Distrito Federal, Centro Sul Mato-Grossense, Nordeste Mato-Grossense, Norte Mato-Grossense, Sudeste Mato-Grossense, Sudoeste Mato-Grossense, Centro Goiano, Leste Goiano, Sul Goiano, Norte Goiano, Noroeste Goiano, Sudeste Tocantinense, Sul Tocantinense e Oeste Tocantinense.

O Instituto não recomenda a prática de atividades ao ar livre entre 10 horas e 17 horas, e aconselha o uso do protetor solar e aumentar a ingestão de líquidos. Crianças e idosos precisam de atenção especial.

Outubro chegou e, com ele, a cor rosa começou a aparecer em diversas campanhas e monumentos para alertar a população sobre a necessidade dos cuidados preventivos do câncer de mama. A doença mata, em média, 447 pessoas todos os meses no país, sendo a primeira causa de óbitos por neoplasias malignas em mulheres. No mundo, uma em cada oito mulheres desenvolvem câncer de mama ao longo da vida e, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são estimados para 2020 mais de 66 mil novos casos da doença. Em razão do diagnóstico tardio e pela demora no início do tratamento, a taxa de mortalidade é de 25% no Brasil.

Cenário baiano
Já na Bahia, o câncer de mama é o tipo de neoplasia que mais leva à morte a população, com uma média de 24 óbitos mensais para casos tratados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), segundo dados disponíveis no portal Datasus, coletados pelo BNews nesta segunda-feira (5). A Bahia também aparece em quinta colocação no cenário nacional em relação ao número de internações em razão de neoplasias malignas, atrás São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná. Em números absolutos, entre 2014 e agosto de 2020, o estado teve 24.149 registros de internações na rede SUS por causa da doença, uma média de 12 entradas por dia nos hospitais.

Pandemia
Neste ano, com a pandemia da Covid-19, 62% das mulheres deixaram de ir ao ginecologista e, consequentemente, não realizaram a mamografia preventiva. O percentual sobe para 73% entre as brasileiras com idade acima dos 60 anos, que fazem parte do grupo de risco do novo coronavírus. Os dados são da pesquisa "Câncer de mama: o cuidado com a saúde durante a quarentena", realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) em algumas capitais brasileiras.

A presidente do Instituto Oncoguia, Luciana Holtz, afirmou que as mulheres devem aproveitar o outubro rosa para colocar o exame de mamografia em dia. De acordo com ela, quando o tumor é detectado na fase inicial, a chance de cura é de 95%. "A mamografia consegue detectar coisas muito pequenas, que não dá para sentir na apalpação [da mama]", explicou. A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda que a mamografia preventiva seja feita anualmente para as mulheres a partir dos 40 anos. Já o Ministério da Saúde orienta que o exame seja ofertado para aquelas que têm 50 e 69 anos, a cada dois anos.

O Ministério da Saúde planeja realizar um dia "Dia D" contra a Covid-19 em 3 de outubro. A mobilização vai orientar a população a procurar ajuda médica ao sentir os primeiros sintomas da Covid-19, e também a pedir um tratamento precoce, que inclui os medicamentos do chamado "Kit Covid", com hidroxicloroquina, cloroquina, azitromicina, ivermectina e zinco. Os medicamtnso não tem eficácia comprovada cientificamente por entidades de saúde. A informação foi divulgada pela CNN, nesta sexta-feira (25).

O país concentra mais 4,6 milhões de infectados desde o início da pandemia e 139 mil mortos.

O slogan da camapnha será "Tratamento precoce é vida". De acordo com a CNN, entre os eventos previstos está um pronunciamento e live do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em rede nacional, e-mail para todos os hospitais do SUS, campanha nas redes sociais e orientações pelo 136, o Disque Saúde.

A Bahia concentra 49,6% dos casos prováveis de Zika e Chikungunya registrado pelo Ministério da Saúde até o mês de agosto de cada uma das duas doenças.

A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) identificou crescimento de 318,7% nos casos prováveis de chikungunya, em comparação com o mesmo período do ano passado. No total, 296 municípios realizaram notificação para a doença, e pelo menos 110 apresentaram incidência maior que 100 casos/100 mil habitantes.

Já em relação à zika, a Sesab aponta que até 15 de setembro foram notificados 4.006 casos prováveis da doença no estado. No mesmo período de 2019, foram 2.762, o que significa um aumento de 45%. Os casos estão espalhados por 168 cidades baianas. (BN)

O número de casos ativos da Covid-19 na Bahia nesta quarta-feira (16) ficou abaixo dos 7 mil pela primeira vez desde 18 de maio. O boletim da Secretaria da Saúde (Sesab) mostra que o estado soma 6.983 pessoas ainda doentes.

Os casos confirmados da doença na Bahia são 287.685 e as mortes 6.085. Nas últimas 24 horas o estado contabilizou 2.237 novos casos e 45 óbitos causados pela Covid-19.

A ocupação total dos leitos Covid na Bahia nesta quarta está em 41%. Em relação aos leitos de UTI a taxa é de 48%.

Por unanimidade, deputados aprovaram, nesta quinta-feira (27), a criação da Companhia Baiana de Insulina (Bahiainsulina), que integrará a estrutura da administração pública indireta, vinculada à Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). O próximo passo é a sanção pelo governador Rui Costa, tornando concreto, após três anos de planejamento, o projeto de construção da primeira fábrica de insulina do hemisfério Sul do planeta, com um investimento estimado em R$ 200 milhões, sendo 100% subsidiada pela iniciativa privada.

De acordo com o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, a Bahiainsulina representa um importante avanço para a construção de um polo biotecnológico para o fortalecimento do Complexo Industrial da Saúde no Estado da Bahia e no Brasil. “A Bahiainsulina será o braço fabril da Bahiafarma para a produção de insulina para o SUS. O equipamento será o primeiro do país a produzir insulina e, quando em funcionamento, deixará de lado a necessidade de importação. A nova companhia poderá também comercializar o excedente de sua produção no mercado privado e mercado externo. A concretização desse projeto só foi possível com a liderança do governador Rui Costa, que criou as condições adequadas para essa realidade”, afirma Vilas-Boas.

A Bahiafarma é detentora da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) de insulina humana e tem como desafio tecnológico nacionalizar a produção deste insumo essencial. Essa PDP garante que o Ministério da Saúde adquira da Bahiafarma 50% da demanda nacional do SUS.

Pelo menos 12 milhões de pessoas vivem com diabetes e necessitam da substância no país. A estimativa da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) é de que na Bahia 203.708 pessoas tenham a doença. Na capital são 13.323.

Além dos impactos positivos na área de saúde, no caso da economia baiana, a operação representa o desenvolvimento de um novo segmento industrial, com alta tecnologia. A fábrica prevê a geração de até 300 empregos diretos e mil indiretos.

Indústria nacional

No cenário mundial, três empresas detêm cerca de 80% do mercado, o que é um risco para quem é insulinodependente, tendo em vista as práticas de dumping para eliminar a concorrência, tabelamento internacional e, sempre que possível, elevação de preço da insulina.

O preço do frasco de insulina ao SUS chegou a cair de R$ 18 para R$ 9 com o anúncio da parceria com a Indar, laboratório ucraniano que fará a transferência de tecnologia. É importante ressaltar que a Indar cumpre com todas as exigências regulatórias brasileiras e nunca ocorreu quaisquer problemas registrados com a farmacovigilância. A Bahiafarma participa ativamente dos processos de transferência de tecnologia e de consolidação da produção nacional da insulina recombinante humana e seus derivados. (ASCOM/BA)

A Prefeitura Municipal de Itabuna, através da Secretaria de Saúde irá adquirir nos próximos dias cerca de 50 mil testes rápidos para detecção da COVID-19, e com isso ampliar as ações para detectar a doença, principalmente naqueles que estão assintomáticos e se tornam principais transmissores da COVID-19. Vale lembrar que já foram realizados no município mais de 20 mil testes, sendo possível desta forma, identificar, isolar e fazer o acompanhamento das pessoas que testaram positivo.

Após a chegada destes novos 50 mil testes, Itabuna avança ainda mais neste cenário de enfrentamento à COVID-19, tão importante para frear a proliferação da doença na cidade. Além das ações de Drive Thru com testagem por agendamento em pessoas com suspeita da doença, o município tem realizado testes com profissionais de diversas categorias, como por exemplo, trabalhadores de supermercados, farmácias, correios, bancários e servidores públicos do município.

COMENTE, FALE, ASSISTA, ACOMPANHE...